Problemas crónicos

Ir em baixo

Problemas crónicos

Mensagem por Cabecinhas em Ter Mar 27, 2018 5:37 pm

Vou partilhar a experiência pouco agradável de um ex proprietário de uma Mash Five Hundred E3 que com muita paciência a expôs no grupo da Mash do Facebook.

A minha 400...
Muita bonita certo?



Só é pena que ao fim de 4000kms e menos de 10 meses tive que a vender antes que desvalorizasse ainda mais...

Os problemas (e falo de problemas e não de coisas aceitáveis tendo em conta o preço) foram mais que muitos:

- o motor pura e simplesmente calava-se. Do nada. Apanhei alguns sustos pois ir a curvar e ficar sem motor a agarrar a mota não é uma sensação agradável.

Podemos ter um problema na bomba de gasolina, folga das válvulas desapertadas, etc... lamento mas não posso partilhar de todo a possível solução para o problema.

Sem fazer publicidade à casa que represento, já apareceram cá Mash com este motor que apresentavam estes sintomas, tanto na versão E3 e E4, e ficou solucionado.


- ferrugem um pouco por toda a mota (escapes picados, descanso, parafusos, etc...) Atenção que nunca andava com ela à chuva (tenho outras motas nas quais confio para o fazer) e nunca ficou fora da garagem.

A ferrugem não é nada que não seja fácil de evitar, basta aplicar uma gordura para servir de capa protectora aos cromados.


- Fundir luzes era o pão nosso de cada dia.

As luzes de origem da Mash são de fraca qualidade e muitas vezes coloca-se lâmpadas de carro em vez de específicas para motas que são mais caras mas ao mesmo tempo com maior resistência a vibrações.


- A travagem é só para enfeitar. Tenho Vespas com 40 anos que travam bem melhor. Atrás ainda vai que não vai mas à frente...travava melhor com os pés no chão.

Nada que uma pastilha de travão em condições não resolva e uns meros 50€ em tubos em malha-de-aço para os travões não incrementem a qualidade da travagem.


- Um dia pelo simples facto de ter a mota parada ao ralenti uns 4 ou 5 minutos para fazer umas fotos acendeu a luz do motor.

Aqui o problema pode estar interligado com o facto dela se desligar em andamento.


- Folgas inaceitáveis nas manetes. Motas com 10 anos de uso não ganham tamanhas folgas.

Folga nas manetes, já eu senti em Kawasaki, BMW, Suzuki, Yamaha e afins e motas com relativamente poucos quilómetros e pouco uso.


- Fundir um fusível que fez com que a mota pura e simplesmente não voltasse a pegar. Em cerca de 170.000kms feitos entre 9 motas diferentes nunca me aconteceu.

Consideraste que pode haver um problema de massa ou um curto-circuito algures que não foi descoberto?


Fora estes pontos que considero PROBLEMAS que não se justificam no preço baixo da mota aponto ainda os seguintes (aqui percebeo que o preço baixo tem que vir de algum lado):

- Pneus que eu não metia nem sequer num triciclo

Sou o primeiro que a considerar que chamar pneus aos de origem é ofender os pneus... plenamente de acordo contigo.


- Qualidade da napa do banco do pior que já vi.

Concordo contigo e também o digo mas nada que 50/75€ não resolva num bom estofador.


- O motor não sendo a pior coisa na mota ainda assim deixa muito a desejar. Já tive motas 250cc (Yamaha Dragstar por exmplo) completamente stock a respirarem bem melhor.

Novamente podemos ter o problema associado ao facto dela se desligar em andamento... gasolina não chegar convenientemente à câmara de combustão.


- A suspensão nem dá para perceber o que tentaram fazer. É super macia para ser mais confortável mas talvez por ser tão macia nem isso consegue ser.

Condordo contigo, a suspensão é fraca... tem solução mas torna-se dispendioso. Contudo não nos podemos esquecer que a mota é bastante barata relativamente à concorrência directa.


- Quando quis dar a mota à retoma foi um filme. Em vários stands não me deram sequer cotação para ela. Para outros a cotação foi pura e simplesmente ridícula. No fim acabei por me safar sem me poder queixar muito mas estava a ver o caso mal parado.

Nem vou comentar... porque ainda existe muitas casas que não conseguem perceber o verdadeiro valor destas motas no mercado de usados.


Está fundamentado Gonçalo Cabecinhas?

Bem sei que a conversa é a do costume...que não é defeito e é feitio.
E também já sei que vens com a conversa das outras marcas...
Mas aqui estamos a falar das Mash e é sobre as Mash que o Filipe Duarte está a pedir uma opinião certo?

Se as Bullit ou as Royal são melhores ou piores não faço ideia...
Que as Mash não valem o que custam, mesmo sendo baratas, tenho a certeza que não...

Para quem nunca teve mota pode perfeitamente ficar satisfeito durante uns tempos...
São bonitas...e baratas...
Quando ao fim de uns meses estão cansados de andarem a caminho das oficinas, e basta ver este forum para perceber que poucos ainda não passaram por isso, vendem a mota e compram uma coisa a sério...mais cara...mas a sério...e percebem onde estavam metidos antes...

A verdade é que não conheço nenhum motard experiente que tenha comprado uma Mash e que se mantenha com ela...
Ou nem se meteram nisso ou fizeram o meu erro de se meterem e arrependeram-se...

Sei que é dificil resistir ao preço baixo por uma mota tão bonita (até as 50cc são muita loucas) mas depressa o gosto se vai transformando num fardo...

Está fundamentado?.

Está fundamentado... continuo com a minha opinião, com a diferença de valor de uma Mash para com a concorrência directa eu corrijo os problemas e ainda fico com dinheiro no bolso.

Cabecinhas

Mensagens : 45
Data de inscrição : 31/05/2016

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum